sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

As pílulas naturais para afinar a cintura

Está difícil comer menos pão e pizza? Sem problema: um bloqueador de carboidrato vai ajudá-la a se livrar dos excessos estocados na barriga. Mas se você tem muita fome ou seu metabolismo é lento, outros aliados de origem vegetal dão uma superforça na perda de peso

por Eliane Contreras | fotos Caio Mello

Algumas substâncias extraídas da natureza podem, sim, dar um empurrão na dieta – não há dúvida nisso. A notícia é que, agora, três delas viraram as queridinhas de médicos e nutricionistas que adotam a fitoterapia como codjuvante no emagrecimento. Vendidas em cápsulas, a faseolamina, o Citrus aurantium e a Caralluma fimbriata têm efeito parecido aos da nova geração de medicamentos convencionais, que reduzem a fome, aceleram o metabolismo e (maravilha!) impedem parte da absorção do carboidrato. Isso mesmo: você pode secar as gordurinhas sem cortar de vez as massas do cardápio. Muitas mulheres – mesmo aquelas que resistem aos remédios alopáticos para emagrecer – estão se rendendo a essas substâncias por serem naturais e agirem de maneira suave, sem mexer com o equilíbrio do organismo. Mas nada de se automedicar. Apenas as farmácias de manipulação – autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – podem preparar as pílulas na concentração recomendada por um profissional habilitado (endocrinologista, clínico geral ou nutricionista com conhecimento em fitoterapia, ou seja, nos benefícios das plantas). Isso também evita que você jogue dinheiro fora. “Doses erradas podem ser perigosas ou simplesmente não funcionar”, avisa a ginecologista Ceci Mendes Carvalho Lopes, presidente nacional da Associação Médica Brasileira de Fitomedicina (Sobrafito). Mas não espere milagre. Para o resultado na balança aparecer, você precisa fazer sua parte: moderar no doce e no refrigerante e cortar fritura. Deixe também a vida sedentária de lado. Falta disposição? Além de queimar gordura, um dos fitoterápicos dá pique para você malhar e ganhar músculos. Agora conheça as três estrelas do momento para acelerar seu projeto curvas.


As fórmulas prontas são confiáveis?

É bom ter cuidado. Todas as pílulas disponíveis nas prateleiras devem ter o registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Mas nem sempre é isso que acontece. Algumas fórmulas prontas são comercializadas de maneira inadequada, sem nenhum tipo de fiscalização. “Nesse caso, o consumidor não tem a garantia de que não há substâncias químicas na composição”, alerta Edmundo Machado, técnico da gerência de fitoterápicos da Anvisa. O uso da faseolamina, do citrus e da caralluma (você vai conhecê-las melhor nas próximas páginas) é liberado na forma de extrato seco. E lembre-se: apenas as farmácias de manipulação podem colocá-las em cápsula, na concentração recomendada pelo seu médico.

Carboidrato bloqueado

Você sabe que precisa reduzir o consumo de pão francês, pizza e macarrão para perder os quilinhos extras. Mas essas delícias continuam fazendo parte do seu cardápio. Também não é fácil ficar longe do doce? A faseolamina bloqueia parte dos carboidratos consumidos, ajudando a diminuir o “peso” desses alimentos.

Como funciona:
“Extraída do feijão-branco (Phaseolus vulgaris), a faseolamina é uma glicoproteína que seqüestra cerca de 15% do carboidrato consumido”, explica a nutricionista e fitoterapeuta Vanderlí Marchiori, de São Paulo.
Faça as contas: numa refeição com 200 gramas de carboidrato (o equivalente a 3 colheres de arroz, 1 batata grande e 1 fatia de pão), pelo menos 25 gramas deixam de ser usadas pelo seu organismo. São 100 calorias economizadas em apenas uma refeição. Segundo estudo da Faculdade de Medicina de Extremadura, na Espanha, a faseolamina também reduziu os níveis de açúcar no sangue, o que ajudou a controlar o apetite em animais de laboratório. Ou seja, são dois pontos a favor da sua cintura: menos carboidratos absorvidos e menos fome. Daí sua dieta fica magrinha e seu organismo vai buscar energia nos estoques de gordura, normalmente instalados na cintura.

Mais vantagens:
Melhora o funcionamento do intestino porque, além do carboidrato não absorvido aumentar o volume das fezes, a faseolamina tem fibras.

Efeitos colaterais:
Dependendo da sensibilidade do organismo, doses exageradas da pílula podem provocar gases, dores abdominais e até diarréia.

Dosagem:
de 350 a 1000 mg por dia.

Cápsulas diárias:
Três, de 30 a 15 minutos antes do café-da-manhã, do almoço e do jantar. À noite, você não come carboidrato? Então, dispense a cápsula nessa refeição.

"Mesmo comendo biscoito à tarde e macarrão à noite, a pílula ajudou a deixar meu abdômen lisinho. Sem a FASEOLAMINA, estava difícil atingir esse objetivo, apesar de não exagerar nas porções e malhar de três a quatro vezes por semana. Na balança, a redução foi de 3 quilos – resultado que apareceu em um mês e meio. Se a barriguinha voltar teimosa, não tenho dúvida: aposto novamente nessa substância".

Simony Gaboardi, 23 anos, nutricionista Altura: 1,64 metro Peso atual: 51 quilos


FONTE:http://boaforma.abril.com.br/edicoes/251/fechado/Dieta/conteudo_803.shtml

Um comentário:

Ana Risch disse...

Oiii....Estou tomando as cápsulas de caralluma, faseolamina e citrus e estou com uma dúvida....qual o horário certo para tomar 30 minutos antes ou 1hora antes das refeições??? bjinhos e adorei a página!!!